domingo, setembro 20, 2009

A IMPORTÂNCIA DO COLEGIADO ESCOLAR

O colegiado escolar é o órgão mais importante de uma escola autônoma e a base da democratização da gestão escolar. Para garantir a participação e envolvimento dos eleitos dos diversos segmentos devem-se oferecer breves cursos sobre os objetivos, os benefícios e a dinâmica de funcionamento da gestão participativa, bem como as habilidades e critérios necessários para o adequado desempenho no colegiado. As reuniões devem ser marcadas em horários que garantam à participação de todos os membros, comprovando, assim, a importância de suas presenças.

O funcionamento do colegiado cria condições para que professores, pais e alunos reflitam sobre suas próprias ações e definam diretrizes para o funcionamento eficiente da escola e para a eficácia de seu processo pedagógico. Os pais e professores devem exercer um importante papel na definição da missão, dos objetivos, prioridades e avaliação dos programas e projetos da escola. Os alunos representam uma importante fonte de informação sobre os problemas da escola e suas possíveis soluções.

Cursos para formação de líderes também devem ser oferecidos aos pais e alunos para que se preparem para o trabalho em equipe e para o exercício da liderança, com vistas à formação de futuros líderes sociais e democratas. Uma democracia é uma comunidade inclusiva, procura viabilizar a participação das pessoas nas tomadas de decisões, reconhece a diversidade de seus membros, abre as portas à participação e faz as pessoas se sentirem parte da comunidade.

O colegiado precisa alocar tempo suficiente para a discussão dos problemas da escola que visem à sua solução, pois numa sociedade democrática, cada pessoa deve se sentir responsável por si mesma e pelos outros; estabelecer elos entre os direitos individuais e os coletivos, visto que sem os interesses coletivos não há sociedade ou comunidade. No contexto escolar, a civilidade significa a capacidade de ouvir o discurso e promover a fala entre outros grupos independentemente de suas posições hierárquicas.

Assim, apesar dos obstáculos teórico-empíricos à democracia institucional representados pela oligarquia, através dos argumentos da eficiência e da apatia das massas, há contra-argumentos de natureza filosófica, política, psicológica, sociológica e pedagógica suficientes para justificar a adoção da democracia institucional nas escolas, que deve ser operacionalizada pelo conselho escolar e constituída por representantes de pais, professores, funcionários e alunos.


Este artigo foi publicado no Jornal O Progresso, no dia 20/09/2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário